Outras páginas

quinta-feira, 13 de junho de 2013

SINDISERVE-CANINDÉ: Servidores municipais aceitam proposta salarial

CANINDÉ, Sergipe - O impasse chegou ao "fim". 










Por Valdir Inácio
Graduando em Gestão Pública


Na manhã do dia 12 de julho, os servidores e servidoras municipais de Canindé de São Francisco, decidiram em assembleia geral extraordinária, o rumo da categoria nesse primeiro momento de negociações com à administração do prefeito, Heleno Silva.

Depois da demostração de força realizada no dia, 11/06, com a paralisação dos servidores, o prefeito, Heleno Silva, tratou de aumentar o reajuste salarial para 9%, assim como ofereceu outras vantagens para a categoria, tais como: a redução da jornada de trabalho de 30 horas garantida em lei, adicional de difícil acesso (100,00 reais) para os servidores que trabalham no interior, mudança de letra para profissionais que mudaram de regime, 100 terrenos para servidores (moradia popular) até dezembro de 2014, e a revisão do Plano de Carreira.

Espantoso

Antes mesmo de passar pelo crivo da assembleia dos servidores, 12/06, o Poder Executivo municipal encaminhou a Câmara de Vereadores o Projeto de Lei que concedia aumento salarial de 9%. Ou seja, os nobres edis iam apreciar e votar o projeto salarial garganta abaixo.   

De acordo com declarações da vereadora, Ivone Feitosa, na assembleia dos servidores no dia, 12/06, havia um entendimento entre todos os vereadores, exceto ela, para aprovar tal projeto com ou sem o aval do servidores. Porém, a parlamentar em consideração a soberania da assembleia dos servidores, iria solicitar vista ao projeto. Uma vez, que votaria  de acordo com a deliberação da assembleia.

Assim como a vereadora, Ivone Feitosa, os outros vereadores da "oposição": Everaldo Nunes, Valdir Andrade, Eliel e Ronildo Beserra, também são servidores públicos municipais. 

Outro fator, que nos chamou à atenção foi a presença de alguns secretários do primeiro escalão estarem presente na assembleia, principalmente, no momento em que os servidores aprovaram a proposta  de 9% encaminhada pelo prefeito, Heleno Silva. Foi pura euforia e comemoração.



Durante as três assembleias que participamos enquanto blogueiro e observador,  percebemos que uma significativa parcela de servidores não estão contentes com a condução dos trabalhos da diretoria do Sindicato. Servidores esses que tem ou não, o hábito de militar na causa, mas, que por algum motivo estiveram pressentes e contribuíram no processo de discussões  durante as assembleias e no fortalecimento da luta do trabalhador.

Do outro lado, a direção do Sindicato se empenhou para que as negociações com o Poder Executivo fossem respeitadas e que houvessem avanços. Os verdadeiros trabalhadores, se é que existe falsos trabalhadores, mostraram com as suas presenças, tendo ou não formação política adequada para o embate ideológico e de conquistas, que estão atentos com a condução da política sindical no Município. 

Outro dado importante que deve ser ressaltado é a questão da Folha de Pagamento que não foi analisada pela categoria, uma vez que o Sindicato não recebeu a mesma a tempo da Prefeitura.

Com a folha de pagamento em mãos e feitos os estudos técnicos necessários, o reajuste salarial poderia ser maior?

Em relação a politização

A despolitização pode acontecer a partir do momento em que à assembleia do sindicato insira em seu Estatuto alguma cláusula ou dispositivo, que dificulte a partidarização de seus filiados na diretoria ou presidência. 

Enfim, a luta dos trabalhadores municipais continuam e outros benefícios para a classe, a exemplo, do Plano de Saúde, em breve será reivindicado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos pela sua visita e comentário.