Outras páginas

quinta-feira, 10 de outubro de 2013

Siemens poderá ressarcir cofres públicos caso seja comprovado cartel

CANINDÉ, Sergipe - Cofres públicos pode ser ressarcido pela Siemens, desde que seja comprovada irregularidade em licitações do metrô de São Paul e do Distrito Federal e da Companhia Paulista de Transportes Metropolitanas (CPTM).

Confira matéria a seguir.


Valdir Inácio
Graduando em Gestão Pública


O presidente da Siemens no Brasil, Paulo Stark, disse nesta quinta-feira em depoimento à CPI dos Transportes da Câmara Municipal de São Paulo que está disposto a ressarcir os cofres públicos caso fique comprovada a existência de cartel em licitações do metrô de São Paulo e do Distrito Federal e da Companhia Paulista de Transportes Metropolitanas (CPTM).

A empresa denunciou ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) o acordo feito entre concorrentes para elevar os preços de produtos e serviços e obter maiores lucros, o que é ilegal. No depoimento, o executivo disse que a empresa não teria encontrado evidências concretas de pagamento de propinas a funcionários públicos. O tema é objeto de investigações da Polícia Federal.

O governo de São Paulo já entrou na Justiça com pedido de indenização por eventuais prejuízos causados pelo cartel. Stark disse que a empresa tem interesse em discutir "eventuais danos causados" pela companhia e um "acordo para ressarcimento", mas apenas quando "os indícios ficarem comprovados pelas autoridades competentes".

- No momento correto, vamos buscar um acerto com os Ministérios Públicos envolvidos - afirmou Stark.

O executivo disse ainda que investigação interna da empresa constatou a suspeita de cartel apenas nos contratos relatados ao Cade, durante os governos dos tucanos Mário Covas, José Serra e Geraldo Alckmin, entre 1998 e 2007, e não em outros contratos que mantém com o poder público.

- Escrutinamos todos os contratos, não só desse período, mas do período anterior e posterior, e não identificamos nenhuma evidência concreta de pagamento de propina em nenhum dos contratos da empresa - disse.

Fonte: Agência o Globo /Portal Yahoo Notícias

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos pela sua visita e comentário.