Outras páginas

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

CANINDÉ: JUIZ CASSA O MANDATO DE QUATRO VEREADORES


Quatro vereadores do município de Canindé de São Francisco, localizado no Alto Sertão do estado, tiveram os mandatos cassados pelo juiz eleitoral Paulo Roberto Fonseca Barbosa, da 28ª Zona Eleitoral de Sergipe. A decisão do juiz eleitoral cabe recurso no Tribunal Regional Eleitoral (TRE).


De acordo com a sentença, os vereadores Everaldo Nunes Lima, Joselildo Almeida do Nascimento, Manoel Paciência da Silva e Luciano Ferreira da Silva, foram cassados, estão inelegíveis por oito anos e devem pagar multa no valor de R$25 mil.

Já os ex-vereadores José Antônio Soares, Everaldo Mariano e José Antônio dos Santos Silva também estão inelegíveis por oito anos e deverão pagar multa no valor de R$10 mil. 

Fonte: G1

terça-feira, 23 de agosto de 2016

A POLÍTICA DE ALGUNS


Por Valdir Inácio
Graduado em Gestão Pública
Blogueiro Social


De fato a política é fascinante. É através dela que vidas são transformadas para o bem ou para o mal.

A política está relacionada diretamente com a vida em sociedade, isso quer dizer que cada indivíduo pode expressar suas diferenças e conflitos, sem que isso seja transformado em um caos social.

Embora, se afirme que gregos e romanos tenham criado a política, essa prática está presente em todo o mundo. A palavra política vem do grego “politéia”, usada para se referir a polis, ou cidade-estado. Dessa forma, podemos compreender que ela surgiu para garantir a estabilidade social. Infelizmente, a grande maioria das pessoas que se insere no meio político, não está preocupada em representar a coletividade. Ao contrário, os interesses pessoais sobrepõem às necessidades da sociedade.

“O que mais se ver nos períodos eleitorais são candidatos sedentos pelo poder. O pior de tudo é que devido termos um sistema político corrupto e falido, a maioria das pessoas são passíveis de barganha.”

O sistema político não ajuda a sociedade ter uma consciência crítica da importância que é a política. Porém, não podemos deixar de criticar a postura daqueles que vendem seu voto por qualquer coisa (blocos, cimentos, e etc.), mesmo porque na frente da urna o eleitor tem a chance de votar em quem quiser, independente do tamanho ou preço da barganha. Em relação aos políticos, candidatos ou não, eles têm uma grande parcela de culpa em relação ao modelo atual que temos.

Você pode mudar a história da sua cidade, do seu município...

A cada quatro anos, o eleitor tem a chance de reprovar os politiqueiros “profissionais”. Aqueles que aprovaram leis que prejudicaram a sociedade, ou mesmo os que fecharam os olhos para os desmandos do prefeito e da sua gestão. A crise e o caos social vivenciado na sua cidade é fruto da inoperância da grande maioria dos vereadores. Considerando, que são os vereadores que tem o poder de controlar e fiscalizar as contas e as ações do prefeito. Então, não venha com justificativa falível de que o vereador nada pode. Pelo contrário, o poder emana do povo e em seu nome é exercido, assim está escrito em nossa Constituição Federal.

Cá entre nós, você lembra qual foi o projeto de lei que o seu vereador aprovou em benefício do povo?

Lembre-se, que parte do fracasso do município é de responsabilidade dos nobres edis. Pois, são eles que criam e aprovam as leis que o prefeito encaminha para o Poder Legislativo. Por isso, da importância de quebrar o ciclo e renovar sempre a Câmara de Vereadores. No dia 02 de outubro a sociedade canindeense tem a chance de dizer não aos políticos que nada fizeram pelo povo. Assim como, a sociedade também tem a chance de continuar apostando naqueles que deram sua parcela de contribuição na defesa dos direitos do povo canindeense, se é que existe.

Então, o que esperar da sociedade e dos políticos?

Da sociedade devemos esperar mudança de postura, mais consciência da importância do voto na construção de uma sociedade mais justa, igualitária e capaz de saber distinguir os falsos políticos, dos poucos políticos que tem um compromisso em criar e aprovar leis que beneficiem a população. Dos políticos, esperamos que eles sejam honestos, compromissados em defender os interesses coletivos dos cidadãos e que honrem a procuração em branco que voi assinada pelo eleitor ao receber seu voto. É o mínimo que os políticos podem fazer em benefício da sociedade.

Nessa eleição, o eleitor tem a oportunidade de escolher o que quer para os próximos quatro anos de representação na Câmara de Vereadores: políticos compromissados com o povo, ou politiqueiros compromissados apenas com si próprios.

Eleitor, o poder está em suas mãos!

sábado, 20 de agosto de 2016

ELEIÇÕES 2016: MAIS DE 2,3 MILHÕES DE JOVENS DE 16 E 17 ANOS PODERÃO VOTAR


Créditos: Divulgação

No próximo dia 2 de outubro, 2.311.120 eleitores de 16 e 17 anos, para os quais o voto é facultativo, poderão escolher os prefeitos e vereadores que os representarão nos próximos quatro anos. O número representa 1,60% do total do eleitorado apto (144.088.912 eleitores) a participar das Eleições Municipais 2016 e é maior do que os 1.638.751 eleitores (1,14% do total à época) que puderam votar no pleito de 2014. As estatísticas atuais do eleitorado brasileiro podem ser consultadas no Portal do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) na internet.

Segundo os dados divulgados pelo TSE, estão aptos a votar nestas eleições 833.333 jovens de 16 anos e 1.477.787 de 17 anos. O maior crescimento absoluto no número de jovens nessa faixa etária foi no município de Manaus, que, em relação a 2012, ganhou 4.815 eleitores (aumento de 25,76%). Já o maior crescimento relativo ocorreu na cidade de Cajueiro (AL): com novos 259 eleitores de 16 e 17 anos, foi registrado um aumento de 90,56% para essa faixa etária.

Apesar do crescimento em relação às últimas eleições, as estatísticas revelaram uma queda no número de jovens eleitores em comparação com o pleito municipal de 2012. Naquele ano, mais de 2,9 milhões de eleitores de 16 e 17 anos (2,10% do total do eleitorado à época) puderam votar.

Para o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Gilmar Mendes, é possível que a redução no número de eleitores jovens esteja relacionada a uma “certa descrença em relação à política”. Além disso, segundo o ministro, “talvez os partidos também não deem a devida valorização e não dediquem energia a captar e incentivar essa juventude eleitora a passar nesse processo”.

“Estamos fazendo todo o esforço no sentido de aumentar o engajamento da população, porque é isso que legitima o processo democrático, como também nos preocupamos muito com a falta e presença nas urnas. Acho que isso também é um movimento de deslegitimação e, por isso, queremos encorajar essa situação de todos os meios e modos adequados”, completa o presidente do TSE.

A Justiça Eleitoral (JE) desenvolve algumas iniciativas para incentivar o engajamento dos eleitores de 16 e 17 anos com a política, especialmente a fim de aumentar o número de jovens envolvidos com as decisões importantes para o país, começando pelo exercício do voto. Em março deste ano, o TSE realizou mais uma Semana do Jovem Eleitor, focada no alistamento eleitoral de jovens, e que contou com a veiculação de campanhas de conscientização no rádio, TV e redes sociais.

Outras iniciativas também são desenvolvidas por diversos Tribunais Regionais Eleitorais (TREs), como o Projeto Jovem Eleitor, que contempla diversas ações, campanhas e programas voltados a conscientizar e estimular a participação dos jovens nas eleições. Os programas do projeto são levados a escolas municipais, estaduais e federais. Eles incentivam a participação política consciente e ressaltam a importância cívica do voto dos jovens para o fortalecimento da Democracia no país.

Clique no mapa para saber se o TRE de seu estado desenvolve o Projeto Jovem Eleitor.

LC/TC

Fonte: TSE