Outras páginas

quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

GILBERTO ATACANTE DO SÃO PAULO, PARTICIPA DO II JOGO DA ACESSIBILIDADE EM CANINDÉ

Foto: Facebook Diasis Silva
A noite de quarta-feira, 14/12, foi marcada pelo II Jogo da Acessibilidade em Canindé de São Francisco. O evento beneficente contou com a participação de atletas profissionais e amadores da cidade e região.

Quem foi ao ginásio pode apreciar as jogadas do atacante Jean, ex-Confiança, Robinho Assis e de Mário Canindé (Pepinha, campeão brasileiro pelo Santos em 2000). O evento ainda contou com a presença do atacante são paulino, Gilberto da cidade vizinha de Piranhas/AL. 

O jogo da acessibilidade é organizado pela Professora Rose Santana e sua equipe. Seu objetivo é arrecada alimentos e fraudas descartáveis para crianças, adolescentes e jovens especiais que são assistidos pelo GAPINE local. 

As pessoas que foram ao jogo contribuiu com 1 kg de alimento e mais 1 real. O evento ainda contou com a participação do vice-prefeito Ednaldo da Farmácia, além de outras figuras da política local.

Com informações das redes sociais.

Valdir Inácio
Graduado em Gestão Pública
Redator DCP

CANINDÉ: DESO SUSPENDE FORNECIMENTO DE ÁGUA


Foto: Reprodução
A Companhia de Saneamento de Sergipe, por meio do seu escritório no Sertão, informou por meio de comunicado publicado nas redes sociais, 15/12, que o fornecimento de água será interrompido, das 9h às 17h, na cidade de Cidade de Canindé de São Francisco. O motivo da interrupção é devido a manutenção em um trecho da rede na cidade.

De acordo com a publicação feita na rede social do funcionário da DESO, Gilberto, o fornecimento voltará ao normal no final da tarde. 


Valdir Inácio
Graduado em Gestão Pública
Redator DCP

quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

O ANJO DA FAMÍLIA, DR. MARCELO, É DIPLOMADO VEREADOR

Foto: Reprodução
Na manhã de quarta-feira (14/12), no clube social Altemar Dutra, em Canindé de São Francisco, o juiz eleitoral Paulo Roberto Fonseca Barbosa, da 28ª Zona Eleitoral de Sergipe, diplomou os eleitos do pleito 2016. Na ocasião, o prefeito Orlandinho Andrade, seu vice-prefeito Ednaldo da Farmácia, Dr. Marcelo e os demais vereadores, titulares e suplentes foram diplomados.

A diplomação

Doutor Marcelo Guedes Souza, 35 anos, chegou ao Poder Legislativo, após obter 680 votos. Ele concorreu a eleição pelo Partido Republicano Brasileiro (PRB), na qual elegeu ainda o vereador Weldo Mariano, retornando a casa pela pela segunda vez. 

Um dos trunfos de Dr. Marcelo para chegar ao êxito, foi a junção de seu trabalho incansável nas comunidades durante seus nove anos de efetivo exercício, e a parceria com seu pequeno e aguerrido agrupamento. A busca pelo voto consciente do eleitor foi pautada na ética e no respeito ao próximo. 

Carta Compromimsso

O "anjo da família", carinhosamente chamado por inúmeros eleitores, lançou durante o transcorrer do pleito, uma Carta dirigida aos cidadãos canindeenses. Nela, constava algumas propostas para um eventual mandato. Sendo, a melhoria da saúde e a valorização dos  profissionais da área e demais servidores públicos, uma das principais prioridades que defenderá no mandato parlamentar.

Além de médico, Dr. Marcelo também tem formação na área de Gestão Pública. E de acordo com a lei, ele continuará atuando como médico no Município, assim a sociedade ganha duas vezes com seu trabalho.

Valdir Inácio
Graduado em Gestão Pública
Redator Blog DCP

domingo, 11 de dezembro de 2016

SOBREVIVENTE, RAFAEL HENZEL DIZ QUE NÃO FOI DADO ALERTA DE EMERGÊNCIA

Rafael Henzel

Foto: Reprodução/Facebook

O radialista Rafael Henzel, um dos sobreviventes do acidente aéreo com a equipe da Chapecoense há suas semanas, dia 29, está previsto para deixar a Colômbia nesta terça-feira, ao lado do lateral Alan Ruschel. Ele e outros dois jogadores do time já foram liberados pelos médicos em Medellín, onde o avião da companhia LaMia caiu por falta de combustível, de acordo com informações preliminares. O goleiro Follmann decola nesta segunda-feira para São Paulo, onde permanecerá para a continuação do seu tratamento. 

Em entrevista ao Fantástico, da Rede Globo, Henzel contou que ninguém no avião foi informado de que havia um problema sério na aeronave antes de ela bater no morro e se destruir, causando a morte de 71 pessoas, entre jogadores, dirigentes do clube de Santa Catarina, jornalistas e torcedores."Ninguém nos falou para colocar o cinto de segurança. Toda vez que perguntávamos sobre a chegada, falavam que faltavam dez minutos. Depois, desligaram as luzes e os motores. Isso causou certo temor, mas não fomos avisados de nada. Voamos sem saber o que ia acontecer", disse o radialista em sua primeira entrevista após de recuperar do acidente, dos problemas médicos causados por ter tido sete costelas quebradas e de uma pneumonia.

Henzel informou que estava sentado na penúltima fileira do avião, na poltrona do meio, e que os dois colegas ao seu lado morreram na queda. Ele foi o penúltimo a ser resgatado no dia, quando os colombianos já imaginavam que todos os sobreviventes haviam sidos retirados dos escombros.
O avião da LaMia perdeu altitude a 30 quilômetros do aeroporto de Medellín. Bateu num morro e foi deixando um rastro de destruição entre as árvores. Chovia no local na hora do acidente e fazia 12ºC. "Não teve pânico ou gritaria antes da queda. Teve um silêncio apenas", disse.

O radialista contou que chegou a ver seus amigos mortos ao seu lado antes de gritar por socorro. Ele achava que estava vivendo um pesadelo, e que acordaria em breve. Foi quando viu as luzes dos homens do resgate. Após o socorro, ele permaneceu sete horas desacordado. "Não me lembro da pancada do avião. Eu estava preso em duas árvores".
Henzel disse que se emocionou quando soube que o filho de 11 anos disse para sua mulher que "sentia a respiração do papai". Ele ficou sabendo do tamanho do desastre depois do terceiro dia no hospital. Seu único desejo agora é pisar em Chapecó e agradecer para o resto da vida a sorte de ter sobrevivido.

Sobreviventes do acidente da Chapecoense voltarão ao Brasil a partir desta segunda-feira, afirmou o médico Edson Stakonski. Ele disse que o lateral Alan Ruschel e o jornalista Rafael Henzel seguirão para Chapecó na terça, às 8 horas. O goleiro reserva Follmann decola no mesmo horário, mas na segunda-feira e vai ficar em São Paulo, onde continuará o tratamento.

63% QUEREM RENÚNCIA DE TEMER, DIZ PESQUISA

Michel Temer
Foto: Dida Sampaio|Estadão

A parcela dos brasileiros que consideram o governo Michel Temer ruim ou péssimo saltou de 31% para 51% de julho para dezembro, segundo pesquisa Datafolha. O levantamento mostra ainda que 34% consideram a atual gestão regular e 10%, boa ou ótima. Em julho, quando ainda era interino no cargo, Temer era avaliado como regular por 42% e como ótimo ou bom por 14%.

A falta de expectativa com a melhora da economia é o principal motivo para a piora na percepção do atual governo. Segundo a pesquisa, 63% se disseram favoráveis à renúncia de Temer para a convocação de novas eleições diretas antes de 2018. Outros 27% se disseram contra a renúncia do presidente e 6% se manifestaram indiferentes.

domingo, 4 de dezembro de 2016

CHAPE: O RECOMEÇO


A tragédia que matou 71 pessoas após a queda do avião que levava o time da Chapecoense até Medellín, na Colômbia, na última terça-feira, abalou o mundo inteiro. Os jogadores de futebol sentiram bastante a situação. E no Santos não foi diferente. Sabendo da proximidade de vários atletas do clube com as vítimas do acidente, a diretoria do Peixe disponibilizou ao elenco a psicóloga do clube, Juliane Fechio.

Além da perda de amigos e colegas de trabalho, a profissional está à disposição para auxiliar os jogadores na briga contra o medo de voar. Por conta do acidente com a Chape, o clube acredita que o atletas podem ficar com receio de viajar de avião, coisa que será bem frequente em 2017, por conta da disputa da Copa Libertadores da América.

“A principal angústia era no sentido da família, de pensar neles. Estão muito solidários à família dos jogadores que faleceram. Como crescem em alojamento e vivem longe, a família vira o principal referencial. Sempre viajam e pensam no retorno para casa. Eles pensam como vai ser daqui para frente nas viagens. Tenho feito muito mais o trabalho de escuta. Psicólogo não pode falar para ser forte, que vai passar, porque não tem como ser forte, então deixo eles desabafarem, dizerem o que sentem”, explicou a psicóloga à Rádio Santos.

O zagueiro Neto, que foi um dos seis sobreviventes da tragédia, passou pelo Santos entre 2013 e 2014. Durante o período no alvinegro, o defensor fez vários amigos. Entre eles estão Gustavo Henrique e David Braz, que chorou ao lembrar do ex-companheiro. 

“Não estou chamando necessariamente os jogadores, estou esperado que eles me procurem. E estou dando uma atenção especial para aqueles que sei que tinham um vínculo maior com o Neto, que jogou com a gente aqui. Esses sentiram mais e temos que trabalhar essa angústia que eles vão sentir por mais um tempo”, concluiu Juliane.