Outras páginas

quarta-feira, 17 de julho de 2019

O povo de Canindé não precisa de Pão e Circo, chega deles!

Entre 2005 a 2012, a Prefeitura do município de Canindé de São Francisco/SE, movimentou aproximadamente 1 bilhão de reais. Nesse período, os administradores não se preocuparam em planejar a cidade e o município para o futuro. Ao contrário, preferiram gastar milhões de reais com assistencialismo, mantendo as pessoas mais pobres sobre seus domínios, e com festas grandiosas para tirar à atenção do povo das questões mais importantes. 

Eles optaram pela mesma estratégia adotada pelo Império Romano, séculos atrás, ou seja, entreter o povo mais pobre e sem conhecimento com Pão e Circo

A Política do Pão e Circo foi e continua sendo uma realidade em Canindé de São Francisco. Conceder uma cesta básica, o pagamento de um talão de energia, ou qualquer outra coisa que tenha o caráter de viciar o povo, não vai mudar a vida do cidadão. Esse tipo de ação sempre foi a política principal deles e dos caciques que pensam que são donos deste lugar. Quando deveriam, na verdade, ter incentivado a vinda de indústrias e empresas para fomentar empregos para o povo. Mas não o fizeram, pois sabem que povo empregado é sinônimo de libertação, consequentemente, não poderiam controlá-los.

Devido a fata de compromisso administrativo nos anos citados (2005 a 2016), hoje a sociedade canindeense paga um alto preço. Hoje vivemos uma realidade cruel com salários atrasados, falta de suprimentos para a Saúde, aulas constantemente paralisadas por falta de transporte e atraso nos salários dos professores. Enfim, são problemas de todo lado para ser resolvido em apenas quatro anos, impossível.

Em outras palavras, as dívidas não quitadas lá atrás, travam a máquina pública atualmente. E a justiça não quer saber mais de justificativas esfarrapadas, hoje a Prefeitura é obrigada a quitar os precatórios (mais de 40 milhões de reais foram deixados de ser pago quando a Prefeitura tinha receita superior a 10 milhões/mês), a dívida com o INSS é paga diretamente na fonte. Isto é, ao entrar os primeiros recursos do mês, automaticamente é descontado. Essa informação você pode conferir diretamente no site do Banco do Brasil - Portal da Distribuição da Arrecadação

Para ter uma ideia são mais de 100 milhões de reais que a Prefeitura deve ao INSS. Essa situação agravou-se ainda mais na última gestão (2013-2016), quando foram descontados na folha de pagamento o INSS, mas não repassados a Receita Federal. Para onde foi o dinheiro do contribuinte?

Por isso e tantos outros motivos, nós do Movimento Independente Muda Canindé, abordaremos temas e questões que ajudem o povo a enxergar o óbvio, e não aceitem o retorno desse grupo político para Canindé e menos ainda do falso profeta. Chega de tanto mal!

O cidadão canindeense tem o direito de não concordar com o que abordamos, porém, fechar os olhos e omiti-se a realidade que vivemos é também contribuir para que essa terra seja amaldiçoada por aqueles que se dizem "amar Canindé". Portanto, nós canindeenses natos e os que escolheram essa terra para viver e constituir suas famílias, tem o dever moral de não aceitar a velha política e seus velhos caciques, que estiveram no poder entre 2005 a 2016, mas optaram usar o dinheiro público ao seu bel prazer, contrariando os interesses coletivos.  
Canindé não precisa desse tipo de gente, nosso povo não precisa de "salvador"!

Os cidadãos e cidadãs de boa-fé desse Município devem unir-se para liderar esse processo na busca da transformação que tanto sonhamos. Nosso povo é digno de respeito e de uma terra igual para todos. 

O ditado popular "A União Faz a Força" é uma verdade absoluta. Então, para transformar esse Município em um lugar melhor e justo precisamos da união das pessoas honestas e compromissadas, pois são elas que conhecem a realidade de nosso povo. 

"Nada é impossível ao que crer". Você crer? 

Juntos e unidos, somos mais fortes. Muda Canindé!

Por Valdir Inácio
Canindeense, Gestor Público
Líder Muda Sertão 
Fanpage: Movimento Muda Canindé
Instagram: @mudacaninde

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos pela sua visita e comentário.