Outras páginas

sexta-feira, 17 de janeiro de 2020

Prefeitura inicia consulta popular para reordenamento do Sistema Público de Educação em Canindé de São Francisco

Na manhã de hoje, 17, a Prefeitura de Canindé de São Francisco, por meio da Secretaria de Educação, em parceria com o SINTESE - Sindicato dos Trabalhadores em Educação Básica do Estado de Sergipe, deu início ao processo de apresentação da proposta de Reordenamento do Sistema de Educação do Município. O evento ocorreu no auditório da Promotoria Pública.  

A audiência contou com a presença do prefeito Ednaldo Vieira Barros, da secretária de Educação Ivone Alves Feitosa, dos representantes do SINTESE - os professores Danilo, José Dias e outros; dos vereadores Ronildo Bezerra, Adriano de Bonfim e José Gomes; dos representantes do Movimento Sem Terra (MST), do Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA), dos moradores do Assentamento Canadá e do Perímetro Irrigado Califórnia. Além de diretores da rede municipal, professores, lideranças locais e da comunidade em geral.

Vamos entender o que é o reordenamento?

O reordenamento é um processo de organização que tem o objetivo de melhorar o funcionamento do sistema de educação a curto, médio e longo prazo, obtendo bons resultados a nível administrativo, econômico e pedagógico. 

Mas, para que isso aconteça se faz necessária a participação de todos nesse processo. Uma vez, que essa política de Educação vai focar no número de alunos, no número de turmas, no número de escolas, no número de professores e demais servidores envolvidos no processo educacional, na melhoria da estrutura física das unidades de ensino, na melhoria da alimentação escolar, na melhoria do transporte escolar e no fortalecimento das demais estruturas utilizadas na organização e funcionamento do sistema educacional.

Ressaltando, que não se trata de fechar escolas, longe disso. Pelo contrário, trata-se de fortalecer as unidades de ensino e garantir uma Educação com mais qualidade, tornando as escolas referências em suas respectivas modalidade de ensino.

De acordo com a secretária Ivone Feitosa, o estudo do reordenamento foi iniciado com a participação da comissão propositiva do SINTESE, onde foram feitos estudos de levantamentos de dados para então, chegar à proposta do reordenamento. Segundo ela, ao falar para o público presente, disse que “todo processo cabe ouvir, cabe ajuste, cabe a gente fazer adequações, sendo pertinente com a qualidade de ensino para os filhos de vocês, para a Educação de Canindé”.

Segundo o professor Danilo do SINTESE, o reordenamento do Sistema Municipal de Educação de Canindé, a princípio trará sacrifícios para todos, mas a médio e longo prazo, os benefícios serão muito maiores em favor de todos. Ainda segundo o professor, os alunos ganharão com o desenvolvimento melhor das competências e habilidades ao estudar em escolas que ofertem uma modalidade especifica de ensino, pois o público é um só. 

Em relação ao transporte escolar, o representante do SINTESE disse que não vai haver necessidade de mais transportes. “Mas se houvesse, mesmo assim compensaria a mudança”. Danilo enfatizou também, que a escola Escrava Anastácia (localizada no Assentamento Canadá) vem perdendo gradativamente alunos ao passar dos anos. Com o reordenamento, essa escola vai ser fortalecida, pois vai receber novos alunos, aumentando o número de matrículas. 

“Estamos fazendo a nossa parte hoje para depois não dizerem que não fizemos”. Em relação ao ganho pedagógico, “isso dará muitos ganhos, a formação será ainda melhor. O reordenamento não tira a garantia de seus filhos de ter uma educação ainda melhor”, enfatizou Danilo a todos os pais e demais pessoas no evento.

A secretária de Educação informou que as escolas dos povoados Curituba e Capim Grosso, já passaram por esse processo de reordenamento. Antes essas escolas ofertavam todas as séries. 

Depois do reordenamento, a Escola Municipal Dr. Augusto do Prado Franco passou a ofertar do 6º ao 9º ano. Ficando a Escola Municipal Antônio Alexandre  dos Santos responsável por ofertar Educação Infantil até o 5º ano, ambas em Curituba. O mesmo ocorrendo nas escolas Domingo Jerônimo e Manoel Messias em Capim Grosso.

Pois bem, a ideia é estender o reordenamento para as demais escolas da sede da cidade e da zona rural, de forma organizada, coletiva e respeitando a participação da comunidade no processo. 

Vamos entender porque o reordenamento do Sistema de Educação é um caminho sem volta?

Primeiro, o montante disponibilizado pelo FUNDEB já não é suficiente para honrar com os salários e os direitos conquistados pelos professores, por isso a importância de ser eficiente também na questão da economia. Segundo, se faz necessário organizar e ofertar a quantidade de vagas por turma, conforme exigência da lei. Sendo, até 25 alunos nas séries iniciais e 40 alunos nas demais séries. Terceiro, a Educação dará um salto de qualidade, posto que as escolas tornam-se referências em suas modalidades de ensino. Quarto, as escolas serão adequadas para essa nova realidade, sendo mais bem equipadas para garantir um ambiente melhor para os alunos e os professores. Quinto, os profissionais da Educação terão a possibilidade de dedicar-se ainda mais aos discentes e suas unidades de ensino.

Por fim, o resultado de todo esse choque de gestão será a melhoria da qualidade do ensino no município de Canindé de São Francisco e a mudança de postura frente à readequação da realidade vivenciada atualmente. 

De acordo com o prefeito Ednaldo da Farmácia, todos serão ouvidos nesse processo. O chefe do executivo deixou claro que está enfrentando esse assunto com racionalidade e tem a convicção de que sua gestão está fazendo o que é melhor para a melhoria da Educação, para os alunos e os cidadãos canindeenses. Disse ainda que deixará um município melhor para os próximos prefeitos, independente de quem seja.

Ele citou também, que em sua administração fez o que os demais prefeitos não fizeram em relação aos resíduos sólidos (lixo). Ou seja, enfrentou o problema e acabou com o antigo lixão. Hoje, o lixo produzido pelo município, parte é reciclado pela cooperativa e o restante segue para o aterro sanitário de forma adequada. Assim, resolvendo um problema social, ambiental e que deixava uma má impressão aos turistas que passavam pelo local.  

Enfrentar e resolver a questão do reordenamento é um ato de responsabilidade por parte dessa gestão, das autoridades e de todos os envolvidos diretamente no processo. Toda mudança a princípio assusta é verdade, mas se tratando dessa questão, os ganhos serão maiores para todos. Mensurá-los é questão de tempo. 

Sendo assim, o município de Canindé de São Francisco não pode ser omisso frente aos desafios postos. Ao contrário, deve enfrentá-los e apontar as soluções para melhorar a vida de todos os seus cidadãos.


Da Redação 
por Valdir Inácio
Diário da Cidade Sertão
Com informações da ASCOM /Prefeitura de Canindé de São Francisco

Mais fotos do evento, clique aqui.






Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos pela sua visita e comentário.