Outras páginas

sábado, 24 de agosto de 2019

Em busca de ser profissional, Daise segue os passos da rainha Marta

Daise na estação de metrô indo ao treino em São Paulo
A jovem atleta Daise, da equipe Sub-17 do Sport Clube Corinthians Paulista, trilha o mesmo caminho da sua conterrânea Marta, que ao longo de sua carreira recebeu por seis vezes o título de melhor jogadora do mundo.

Daise Santos de Souza, 14 anos, é natural de Dois Riachos/AL, meia-atacante, desde pequena começou a espelhar-se no exemplo de Marta. Como resultado disso, apaixonou-se pelo futebol. Em sua terra, ela jogou campeonatos em equipes masculinas, jogando com meninos Daise teve que evoluir em seu futebol, pois a pegada do jogo era mais forte e exigia mais disposição. 

Os bons ventos trouxeram a notícia do seu futebol para o município de Canindé de São Francisco/SE, onde foi convidada para jogar a competição municipal Sub-15 no ano de 2018, pela equipe Atletas de Cristo do Projeto Social Esportivo Revelando Talentos. Ela jogou todos os jogos e ajudou o time a chegar à semifinal. 

Depois da competição as portas do Clube Desportivo Canindé foram abertas, ela disputou o Campeonato Sergipano de Futebol Feminino, na equipe principal. 

Daise fez avaliação na categoria de base do Corinthians e foi aprovada. Atualmente treina e disputa as competições pelo clube paulista. Para o seu ex-treinador Tony Inácio, "o importante nesse contexto é ressaltar que mesmo sendo de família humilde, de uma cidade pobre do sertão de Alagoas, ela sempre acreditou no seu sonho que é ser jogadora de futebol". Ele ainda disse que, "nos congressos técnicos antes do campeonato, falamos para todos que iríamos escrever uma garota para jogar. A princípio tivemos certa resistência, mas conseguimos convencer a organização do evento a permitir sua participação", finalizou. 

"Nossa seleção brasileira feminina já mostrou que podemos chegar ao topo mais alto do futebol mundial. No entanto, é preciso que o futebol feminino tenha mais investimento nos quatro cantos do país. Muitas meninas querem e jogam futebol, mas precisam de oportunidades. A CBF, as federações e os dirigentes dos clubes profissionais, devem enxergar o futebol feminino como modalidade viável, pois os brasileiros são apaixonados por futebol e são solidários ao futebol feminino.”, declarou o coordenador do Projeto Revelando Talentos, Valdir Inácio.

Da Redação 
Diário da Cidade Sertão

Um comentário:

  1. Ela merece todo sucesso do mundo, no ano em que ela jogou aqui em Canindé no meio dos meninos, vi uma menina muito esforçada,e com muita habilidade, temos que reconhecer que os dirigentes do time Revelando talentos, fizeram um bom trabalho com ela garota... parabéns!👏👏👏👏

    ResponderExcluir

Agradecemos pela sua visita e comentário.